Jurassic Park 3 reimaginado

Jurassic Park 3 reimaginado

Iremos apresentar uma nova versão de Jurassic Park 3, utilizando a trama atual e criando uma versão alternativa para os principais acontecimentos, a fim de apresentar uma nova perspectiva da trama.

Por Maxwell Rodrigues

Jurassic Park 3 é o filme mais controverso da franquia Jurassic Park. Lançado em julho de 2001, dirigido por Joe Johnston, Jurassic Park 3 tentou apresentar e explorar novos conceitos jamais vistos nos filmes anteriores, mas tentando não alterar muito a essência deixada pelos seus antecessores. Mas tais inovações, em vários aspectos foram considerados um divisor de águas para os fãs e até mesmo de ponto de vista técnico, para o próprio estúdio e os envolvidos diretamente com a franquia.

O filme manteve a qualidade já padrão da franquia, mais uma vez trouxe os dinossauros de forma bem realista, utilizando efeitos práticos, com animatrônicos bem condizentes e efeitos de computação gráfica de ponta(CGI).

Jurassic Park 3 foi, e é o mais criticado de toda a franquia até hoje. Podemos citar que foi devido a falta de criatividade por parte dos roteiristas em desenvolver um enredo que sustentasse e desse credibilidade de forma plausível, a real motivação dos personagens terem que retornar a uma ilha repleta de dinossauros vivendo livremente sem qualquer tipo de contenção, faz o longa ser apenas mais um filme de perseguição ao estilo “gato e rato”. Para manter a sensação que o filme ainda se passava no mesmo universo dos filmes anteriores, Laura Dern que fazia o papel de Dra. Ellie Sattler em Jurassic Park, fez uma pequena participação. Já Sam Neill foi convidado mais uma vez para reprisar e protagonizar com o seu personagem do Dr.Alan Grant, apesar de não ter mais motivos para interagir com os esses animais; – “Inclusive, Alan não faz questão de esconder isso no filme. Já que a todo momento ele faz questão de lembrar o quanto foi difícil sair com vida da ilha Nublar no incidente de 93’s, no Jurassic Park original”.

O personagem mais uma vez é colocado em uma ilha isolada repleta de dinossauros ferozes. Além de ter que sobreviver às ameaças dos répteis vorazes, tinha que lidar com um drama familiar, os Kirby’s, interpretados por Tea Leoni e William Macy (Amanda e Paul Kirby). Pais divorciados em busca do seu filho Eric Kirby (Trevor Morgan), que se acidentou na ilha. É no meio disso tudo que somos apresentados ao novo ‘super-predador’ o Spinosaurus, que para infelicidade dos fãs do Tyrannosaurus, principal antagonista dos filmes anteriores, é morto em um combate brutal pelo novo antagonista o Spino. Além de vermos Raptores, que sempre roubam as cenas nos filmes da franquia, agora em novas versões. Muito mais inteligentes, mais inteligentes que os próprios primatas! Como o próprio Dr.Alan Grant menciona no filme. Com uma capacidade de comunicação muito superior comparado aos Raptores mostrado nos filmes anteriores, também tinham empatia com as emoções humanas e usavam isso a seu favor,sendo até capazes de criar armadilhas para os personagens.

Mas nem tudo foi um grande impacto! Jurassic Park 3 teve ótimas cenas de ação e suspense, com os dinossauros perseguindo os personagens em vários lugares e interagindo em novos ambientes. Apesar de ser na mesma ilha do filme anterior, a Isla sorna, a ambientação era totalmente diferente, trouxe novos cenários, foram apresentadas novas espécies de dinossauros e répteis voadores, os Pteranodons, tendo uma sequência inteira para estes animais. Porém devido a essas diversas inconsistências, problemas de produção e um roteiro com uma trama rasa, considerando apenas uma motivação que fizesse os personagens irem para aquele lugar e assim poder dar sequência ao envolvimento com os dinos novamente. Jurassic Park 3 foi alvo de várias críticas. Tendo a menor bilheteria entre os 5 filmes já lançados até o momento, aproximadamente 368,8 milhões de dólares. Também é o menor filme dos 5, já que possui apenas 94 minutos de duração. Foi à partir daí que a franquia entrou no hiato e o futuro era incerto a partir daquele ponto.

Mas felizmente em 2015 Colin Trevorrow trouxe a franquia de volta com tudo! E hoje temos Jurassic World e os dinossauros dominaram a Terra mais uma vez! Com seus híbridos geneticamente modificados, uma nova essência. Mas isso é assunto para outra matéria. Vamos voltar para Jurassic Park 3. E se fosse possível readaptar Jurassic Park 3 ? Ou corrigir? Como seria? É isso que vamos abordar aqui. Iremos apresentar uma nova versão de Jurassic Park 3, utilizando a trama atual e criando uma versão alternativa para os principais acontecimentos, a fim de apresentar uma nova perspectiva da trama, uma mais plausível ao contexto geral da franquia ignorando o fato que somente após 14 anos tivemos uma sequência, vamos contar uma história que ainda faria pontas ao que seria ‘Jurassic World’ no futuro.

É importante ressaltar que iremos re-adaptar a trama já estabelecida, focando principalmente nos pontos chave do filme, aqueles no qual julgamos relevantes, que alterados, dariam outro rumo a história. Alguns diálogos e sequências não foram alterados, pois não agregam mudanças significativas para a história.

As principais alterações em nossa versão são:

– A cena de abertura temos apenas Ben Hildebrand. Ben é um agente especial do governo do USA. Enviado até a ilha com o objetivo de descobrir instalações secretas que haviam sido reativadas misteriosamente. O ataque ao barco ocorre como vimos no filme, porém contrário do filme,o motivo de Ben usar o barco de turismo para se aproximar da ilha é que ele prefere meios não convencionais para evitar ser detectado por quem é que esteja operando na ilha. A infiltração é um sucesso, mas Ben vai para ilha sem saber o que acontece com os pilotos depois que ele se solta do barco.

– Alan é convencido a se juntar a Paul e Amanda em um voo turístico sobre a ilha Sorna, assim como vimos no filme. Porém após Paul autorizar Udesky e Nash a pousar na ilha, antes de ser atingido por Cooper, Amanda e Paul revelam a Alan que eles estão em busca do seu filho perdido, que fazia um passeio de parasail próximo a ilha e acabou desaparecendo. Como no filme original. Mas Alan não os dá ouvidos e continua a tentar impedir que o avião pouse na ilha. Até Cooper vir e o atordoa-lo.

– A cena do acidente de avião também tem poucas alterações, mas ainda sim significativas. O ponto que mudamos foi que Alan acorda com os berros de Amanda, mas ao invés de chamar, procurar por seu filho ‘John’. Ela grita por alguém chamado “Ben”. Ele saí do avião questionando o que estava acontecendo? Pedindo a Paul que mandasse Amanda parar de gritar, ouvimos o rugido do Spinosaurus e a sequência é a mesma até o fim do confronto do Tyrannosaurus e do Spinosaurus.

– Após escapar do Spinosaurus, Alan vai tirar satisfações com Paul. Amanda o impede como vimos no filme, mas ao invés de revelar que estavam ali para resgatar seu filho perdido como aconteceria no filme original. No diálogo eles revelam que nunca tiveram filhos. Paul e ela eram divorciados, mas nunca tiveram filhos.

– O motivo de não terem filhos era porque Paul era estéril e por conta do desgaste emocional do relacionamento dos dois, acabaram rompendo a relação.

– Amanda revela que ambos são agentes do governo do USA. Enviados para se encontrar com outro membro da equipe que havia desaparecido há alguns dias, Ben Hildebrand. Ben antes de desaparecer enviou as coordenadas da pista de pouso, lá era o local que serviria como ponto de encontro.
Mas agora que estavam ilhados, não tinham certeza se Ben ainda estava vivo?

– Por Ben ser o único que sabia o caminho das instalações e havia desaparecido. Amanda e Paul tiveram que ir atrás de outra pessoa que conhecesse o local e seus anfitriões, no caso, o Dr. Grant, pois sabiam do envolvimento dele com o ‘Jurassic Park’. Eles mentiram para Alan porque estavam presentes na sua última palestra, onde fariam a oferta a pedido do governo do USA e ofereceria ajuda para custear suas pesquisas. Mas depois que eles ouviram Grant dizendo que não havia nenhuma força no mundo que o fizesse voltar aquele lugar. Foram obrigados a usar outros argumentos. Mas como no filme, Alan diz que nunca esteve na ilha e explica que havia duas ilhas com dinossauros.

– A missão de Paul e Amanda era a mesma de Ben. Encontrar as instalações secretas que estavam sendo reutilizadas e afetando o ecossistema da ilha, causando um desequilíbrio ambiental.

– No diálogo também é dito por eles que o governo para evitar que mais incidentes como San Diego acontecesse, instalou um sistema de satélites para monitorar a ilha. Assim eles tinham controle do número da população de dinossauros que viviam na ilha e quantidade de espécies diferentes que estavam procriando.

– Em 1998 foi realizada uma missão secreta do governo americano, onde um grupo de pesquisadores foram enviados até a ilha para estudar e catalogar o número de espécies que a habitava. Por isso Paul e Amanda conseguiam acesso a muitas informações sobre os animais, como habitats, trilhas de caça, zonas de reprodução e etc. Mas a missão era focada em contenção, não tiveram tempo de catalogar as instalações, por isso os dados eram limitados. Para isso foi necessário uma nova missão de infiltração.

– Os personagens voltam ao avião e recolhem o que sobrou, assim como no filme original, Alan revela o nome do animal que os atacou, o Spinosaurus aegyptiacus. Mas o que alteramos é que Paul e Amanda, na cena onde estão se trocando, equipam-se com vestimentos táticos. Amanda recupera dos destroços um dispositivo de rastreamento e comunicação, um telefone por satélite, mas como eram agentes do governo, o dispositivo possuía mais funções e era um equipamento militar e não um item convencional.

[“Descartamos a idéia de ter um Spinosaurus perambulando pela ilha com um telefone tocando em seu estômago, buscamos algo mais realista. Também não temos Amanda gritando inconsequentemente pela floresta como no filme original. Ela e Paul eram soldados treinados e sabiam dos riscos, mas ainda tinha “barulho”para nos irritar. Amanda usa o dispositivo que ela pegou nos destroços para localizar o último ponto onde foi transmitido sinal de Ben, pois ele também possuía o mesmo aparelho e podia ser localizado caso se perdessem. O telefone emitia um som característico de rastreador, como uma espécie de sonar. Quanto mais próximo do ponto de destino, mais alto era o som”.]

– O grupo encontra o corpo do Ben, próximo ao ninho dos Raptores. Não pendurado no paraquedas, mas sim amarrado na árvore.

– Eles também encontram uma câmera que estava funcionando. Na gravação assistimos Ben explicando o que havia acontecido com sua missão, dizendo que havia se distanciado do ponto de encontro e o local era muito perigoso. Mas que havia conseguido encontrar as instalações. Mas antes de revelar as informações, assistimos ele sendo pego e amarrado na árvore por um grupo de mercenários. A câmera acaba registrando tudo, inclusive sua morte. Assim como no filme, fica subentendido que foi devido aos ferimentos por conta da queda e os raptores. Mas na nossa versão, o momento de sua morte é registrado até o fim. Veriamos ele ser deixado para trás pelos mercenários e devorado vivo! Mas por um ângulo desfocado, já que a câmera estava caída no chão.

– Paul encontrar os ninhos dos Raptores como vimos no filme original. Também como no filme original, Alan saí às pressas do local e Billy fica para trás. Quando Alan volta para buscar o rapaz ele o encontra conversando com Paul, ele diz Paul havia pedido que estava fotografasse os ninhos.Pois serviriam como provas. Alan estranha,mas ignora, pois para Billy era tudo novidade,nunca tinha tido contato com aqueles animais.

– Grant diz que devem continuar procurando o litoral. Paul diz a Amanda que devem continuar com o plano e encontrar as instalações. Amanda diz que agora o principal objetivo era sair com vida daquela ilha. Mas Paul diz que para isso teriam que encontrar as instalações. Amanda tentar argumentar e prefere seguir o plano do Grant, mas Paul lembra a ela que o telefone por satélite não teria bateria o suficiente até eles chegarem ao litoral e mesmo o mantendo desligado. Uma hora ficaria descarregado e todas as chances deles estariam perdidas. Ainda completa dizendo que o único local que seria possível recarregar o aparelho e encontrar suprimentos, era as instalações. Então Amanda aceita o plano de Paul e todos decidem refazer a mesma trilha de onde os mercenários vieram, indo na direção oposta que eles correram.

– No laboratório de embriões a sequência até onde o Alan é cercado pelos raptores é praticamente a mesma. As nossas alterações são sutis, mas ainda sim, relevantes. Em nossa versão o local ainda tinha energia. Paul e Amanda encontram evidências de uso de equipamentos no local, estavam abandonados mas em funcionamento, indicando que o local estava sendo usado para algum propósito.

Mas por algum motivo, havia sido abandonado e quem é que seja que estava trabalhando ali? Não se preocuparam em deixá-los funcionando para trás, mas não havia equipamento de comunicação ou armas. Apenas itens de monitoramento e alguns suprimentos básicos. Amanda encontra o Raptor no tanque fingindo-se de morto e as cenas seguem como vimos no filme original, até o Alan ser cercado pelos Raptores.

[“Decidimos incluir na sequência dos Raptores perseguindo os personagens, uma cena descartada que estava presente no roteiro original. A cena em questão seria a morte do Udesky, onde antes de morrer ele tenta se defender com um pedaço de árvore, mais ainda sim é morto cruelmente. Então seguimos até a parte que Alan é cercado pelos Raptores, mas em nossa versão. Não tem o Eric Kirby para o salva-lo. Tiramos Eric da nossa versão, pois uma das principais críticas de Jurassic Park 3 era justamente o fato de um garoto de aproximadamente 14 anos ter sobrevivido 8 semanas sozinho em uma ilha repleta de dinossauros, sem qualquer assistência, até nos dias de hoje é uma situação muito difícil de aceitar.Pois os próprios adultos e pessoas preparadas não tiveram tanto êxito, como um adolescente sem preparo iria sobreviver tanto tempo assim? No nosso ponto de vista é uma situação inaceitável, pode se dizer que é até forçaram demais a barra. E criaram apenas uma situação para adicionar atores mirins no elenco do filme, crianças. Então analisamos e decidimos substituir o garoto e inserir novos personagens que agregassem conteúdo para a narrativa do filme. Sempre empurrando o telespectador para frente, com diálogos mais concretos. Com situações mais plausíveis, conectadas ao enredo principal e fáceis de justificar, mantendo a trama focada no objetivo principal que apresentamos no início do filme”.]

– Alan é salvo por outro grupo de soldados do governo que monitorava a região. Ele é levado até um acampamento improvisado (substituímos o caminhão onde Eric se escondia) e o homem no qual o salvou das garras dos Raptores se apresenta como tenente Mike Harrys, um Seal da Marinha Norte Americana, ele apresenta a sua equipe a Alan e também diz que estão atrás da localização das instalações secretas.

– Oliver, outro membro dos Seals da equipe de Harrys diz a Alan que seus equipamentos foram sabotados e eles acabaram presos na ilha, assim como ele, ficando sem recursos e sem poder pedir ajuda.

– Alan explica como foi parar ali, que veio enganado pelos Kirby’s. Diz que eles também eram agentes especiais do governo enviados para a ilha para encontrar as possíveis instalações secretas.

– Harrys diz a Alan que eles deviam ser a equipe de resposta, pois já estavam há “8 semanas presos na ilha”, sem qualquer contato com meio externo. E naturalmente uma nova equipe seria enviada com a mesma missão. Ainda teriam que descobrir o que aconteceu com a equipe dele. Mas logo descobriram que também foram enviados para nunca mais voltar.

– Oliver conta como sobreviveram. Após chegarem na ilha e montarem acampamento, seus equipamentos de localização foram sabotados e as linhas de comunicação cortadas. Os forçando a nunca deixar o acampamento, montaram um perímetro de segurança e exploram apenas as redondezas para saber com quais tipos de ameaças eles poderiam ter que lidar em situações de emergência.

– Em várias rondas pelo local, foram encontrados mais vestígios de outros soldados que possivelmente também haviam sido enviados para lá com o mesmo objetivo e tiveram o mesmo destino trágico deles. Abandonados à própria sorte em uma ilha cheia de dinossauros sanguinários. Eles recolheram o máximo de suprimentos possível e ficaram aguardando por resgate, mas logo descobriram que nunca viria alguém procurar por eles. Provavelmente nem sabiam mais da existência deles.

– Harrys suspeitava que isso já acontecia de tempos em tempos. Vários soldados foram enviados para lá, para cumprirem uma missão que não tem fim. Encontrar um lugar que não existe. Pois quem estava sabotando o equipamento deles, não tinha feito isso de dentro da ilha e sim de fora,antes deles partirem. Eles foram enviados para ilha para morrerem, deixados para trás propositalmente e isso só poderia ser feito por alguém de dentro, alguém que sabia da missão deles e para onde iriam. Ele suspeitava que era alguém do comando, infiltrado no HQ.

– Alan diz que não confiava nos Kirby’s, pois não sabia quem de fato eles realmente eram? Ele também afirma que só o levaram pois achavam que ele conhecia a ilha e pretendia usá-lo como guia, mas erraram, porque ele nunca tinha ido naquele lugar.E completa afirmando que por pouco ele conseguiu sair com vida da ilha Nublar. Sabia quais eram os riscos caso tentasse se aproximar novamente dos dinossauros. Os soldados também não tinham conhecimento da existência da ilha Nublar.

– Alan revela para Harrys que Amanda e Paul tinha um telefone por satélite funcionando, mas com pouca carga. E que antes de se separarem o plano era procurar pelo litoral, por ser uma área aberta, mais segura e também facilitaria o resgate. Quando chegassem,usariam algo para chamar a atenção de quem passasse perto da ilha. Oliver concorda que é um bom plano e todos devem partir,tentar encontrar o litoral.

– Como no filme, mostramos os dois grupos caminhando pela selva,procurando pelo litoral. Com os personagens interagindo entre si até o momento de reencontro no cercado. Os dois grupos (como no filme)ouvem o som do que parece ser um telefone tocando e correm na mesma direção, mas em lados opostos. Mas depois se encontram de forma bem parecida como vimos no filme, cada um de lado do cercado. Porém Oliver que estava com Alan que escuta o som de telefone tocando primeiro e no outro lado é Amanda, que estava com Paul e Billy.

– Após se reunirem e se apresentarem. Billy e Alan conversam, procuram uma forma de atravessar a grade. Harrys faz várias perguntas a Paul. Questiona sobre seu uniforme e o método de infiltração de Paul. Já que ele e seus soldados vieram furtivamente pelo mar, a noite. Para evitar que fossem detectados por quem estivesse operando na ilha. E pergunta a Paul porque vieram de avião? Paul responde que resgatou tudo que pode nos destroços do avião, por isso ele e Amanda usavam uniformes diferentes. Ainda menciona que usou o avião pois foi obrigado a aceitar o inevitável.

– Oliver pede a Amanda o seu telefone por satélite emprestado para tentar entrar em contato com a base de operações e o código de transmissão a Paul. Mas ela diz que não conseguiu recarrega-lo, tiveram que sair às pressas do único lugar com energia. E possivelmente seria possível realizar apenas uma chamada.Paul diz a Harrys que não sabia do que ele estava falando?

– Harrys fica sem entender a resposta de Paul. Oliver pergunta a Amanda se foi esse o motivo de não ter atendido a ligação quando o telefone estava tocando? O soldado diz que antes de os encontrar ouviu um telefone tocando na mata e seguiu o som,presumindo que fosse o dela. Mas Amanda diz que manteve o telefone desligado para preservar bateria, mas também ouviu um telefone tocando e seguiu o som achando que se tratava do grupo de mercenários(que atacou Ben) e podiam estar próximos a instalação secreta.

– Os dois ficam se questionando de onde era o som? Mas antes de dizerem algo, o som novamente volta a ecoar bem mais próximo a eles. Como no filme, todos olham para a mesma direção e ao se virarem, dão de cara com o Spinosaurus os encarando! Porém em nossa versão, ele não está com o telefone em seu estômago. Mas em suas mandíbulas. Pois o telefone era sim de uma dos mercenários que prendeu Ben na árvore, mas o mesmo teve um destino tão trágico quanto Ben. Morto pelo gigante, que o ainda tentava terminar de devorá-lo enquanto o telefone tocava, preso em suas vestimentas.

– Amanda diz uma frase de efeito fazendo referência ao Dr. Malcolm do primeiro filme (“Boy do I hate being right all the time.”). O Spinosaurus parte o corpo do mercenário morto ao meio,engolindo parte dos seus membros inferiores,do torso para baixo e deixando o torso cair no chão. O telefone continua tocando, o monstro solta um rugido indicando que vai partir para o ataque e como no filme, todos começam correr paralelamente a cerca, em lados opostos. Temos um close no corpo do mercenário caído no chão e o Spino pisoteando o celular tocando, que havia caído a poucos metros dos restos mortais do homem e em seguida inicia a perseguição ao grupo.

[“Deixamos as coisas mais naturais e plausíveis. Tiramos o telefone tocando dentro do Spinosaurus, mas para não alterar muito a ideia da cena. Deixamos os acontecimentos de forma mais realista. E na sequência a seguir vamos usar um conceito descartado do roteiro inicial de Jurassic Park 3.”]

– Todos vão correndo ao lado da cerca, Amanda, Paul e Billy estavam do lado do Spinosaurus. Enquanto Alan, Oliver e outros soldados estavam do lado oposto, do lado de ‘dentro’. Eles escapam por pouco passando por uma brecha no cercado, como no filme.

– Do outro lado, o grupo tenta retomar o fôlego, o Spinosaurus desiste da perseguição. Mas isso dura poucos instantes. Sem aviso prévio um Velociraptor salta em cima de um dos soldados(como no roteiro inicial, teríamos os raptores nesta cena)! Logo mais atrás Billy avista mais raptores se aproximando, correndo na direção deles! O Spino volta e consegue atravessar o cercado, quebrando uma parte onde estava danificada. Novamente todos estão em perigo.

– Amanda, Alan e Billy são os primeiros a saírem correndo para se salvar do ataque surpresa. Os raptores começam a separar o grupo como cães pastores ordenhando ovelhas, abatendo-os uma a um. Semelhante ao que vimos em “The Lost World” na sequência da grama alta, mas desta vez no campo aberto.

– Neste filme os Raptores estão mais brutais e cruéis, mas inteligentes também. Nesta sequência veríamos tudo isso, veríamos os animais caçando em bando com ataques coordenados, explorando as fraquezas, intimidando os personagens. Um soldado tenta subir na árvore, mas é morto por um raptor enquanto tenta escala-la. Outro é forçado a correr em uma direção que o leva direto ao encontro com mais dois raptores, mais um soldado é morto ao tentar ir na direção oposta, mas acaba indo diretamente para o Spinosaurus, restando apenas Oliver e Harrys da equipe dos SEALS.

– Harrys encontra e entra em uma construção com um enorme portão de aço que estava semi aberto, ele grita para os outros dizendo que encontrou refúgio! Amanda, Billy e Alan tentam alcançar o portão,um raptor nota a movimentação deles e parte para cima na tentativa de alcançá-los.

– Paul, que tinha ficado mais atrás do grupo. Escapa do Spinosaurus e tenta atrair a atenção do raptor que persegue Amanda e os outros, mas é atacado por mais um raptor que surge. Mas é salvo por Oliver, que usa seus últimos cartuchos de pistola para eliminar o réptil. Por consequência, ele também se desvia do trajeto e acaba sendo forçado pelos outros raptores que se aproximavam a correr na outra direção do bunker.

– Amanda é a primeira a alcançar Harrys dentro do Bunker, em seguida Billy e Paul que veio da outra direção, Alan acaba ficando por último, sendo quase pego pela enorme mandíbula do Spinosaurus.

– O Raptor macho, o líder dos raptores que estavam atacando o grupo surge, saltando em Oliver que é derrubado no chão. O animal ataca o soldado ferozmente, mas Harrys consegue atrair a sua atenção e o animal deixa Oliver com vários ferimentos e parte para cima do grupo. Amanda e Billy começam a gritar desesperadamente, pois o Spinosaurus também estava se aproximando! Eles fecham o enorme portão de aço e correm para a parede ao fundo. O portão não parecia aguentar muitos impactos.

– O Spinosaurus continua dando investidas contra o portão do lado de fora do bunker. O Raptor que havia sido atraído por Harrys tenta entrar através de uma das passagens nas laterais do portão. Agora de pé, Oliver mais uma vez chama a atenção do animal para si, o distraído para que o Spinosaurus possa finalizá-lo. O Spinosaurus nota a presença dos dois e abocanha o Raptor distraído, o arremessando a vários metros no ar. O animal caí sem forças no chão, a fêmea, alfa do bando assiste tudo. O Spinosaurus ruge ferozmente na direção dela, mostrando toda a sua fúria imponente! Oliver já não estava mais no local, mas podemos ouvir mais uma vez disparos na mata e o típico pedido de ajuda dos Raptores. A fêmea apenas encara o grandalhão com um olhar ameaçador e o dá as costas, indo na direção dos sons. A sequência encerra com o Spinosaurus indo embora, veríamos ele caminhando à partir do ângulo do corpo do Raptor macho morto.

– No bunker, assim como no filme Alan descobre que Billy roubou ovos de Raptores. Porém em nossa versão foi Paul que o convenceu de roubá-los. Billy não contou a Alan pois queria manter o segredo caso Paul o ameaçasse, queria ter vantagem sobre isso. Paul revela a verdade para todos após Amanda e Harrys o confrontá-lo. Ele diz que não foi enviado para aquela missão, ele tomou o lugar do verdadeiro soldado que acompanharia Amanda. Seu objetivo era se aproximar novamente dela para tentar reatar o seu casamento. Ele diz que fez isso após saber que ela e o Ben estavam tendo um caso. Ainda argumenta que dessa vez, se eles voltassem, ele aceitaria adotar um filho e já tinha até escolhido o nome, “Eric (decidimos usar o nome de Eric aqui, só para fazer referência mesmo)”.

– Amanda fica comovida, mas ainda sim com raiva por Paul ter mentido para ela e todos. Alan ainda culpa Paul por o ter colocado em perigo mais de uma vez. Sendo a primeira por o ter sequestrado e a segunda por ter agido por impulso roubando os ovos dos Raptores. Mexer com aquilo que ele não tinha conhecimento (introduzimos algumas questões morais para manter a essência da franquia, no qual as atitudes humanas em relação aos dinossauros, sempre trazem consequências imprevisíveis).

– Como no filme, Paul diz a Alan para deixar os ovos para trás, mas ele diz que os Raptores os continuarão perseguindo e decide os manter com eles. Temos o mesmo diálogo do filme, mas quem leva o sermão é Paul.

– Ao começarem a caminhar para os andares inferiores da estrutura(que os levariam o aviário). Harrys nota que o lugar ainda possui eletricidade. Amanda aproveita para carregar a bateria do telefone. Enquanto isso Alan e Paul exploram o local,

– As cenas no aviário permanecem as mesmas. Porém mudamos os personagens e adicionamos o fato do local ainda possuir eletricidade. Para aumentar o drama, quem é levado pelos Pteranodons é Amanda( decidimos colocá-la em risco, dificultando a possibilidade de saírem da ilha,por ela carregar o telefone que usariam para pedir ajuda). E temos Paul, Alan e Harrys fugindo dos répteis. Billy a resgata e se sacrifica da mesma maneira como vimos no filme original, mas Amanda fica bem ferida devido ao ataque do Pteranodon(ele cravou suas garras nela e deixando marcas e sangramento).

– Após saírem do aviário a gaiola fica aberta, como no filme. Eles finalmente encontram a instalação secreta! Mas surpresos com o local, esperavam um grande complexo de alta segurança e era apenas um centro de operações de pesquisas, um acampamento, montado próximo ao aviário. O equipamento estava abandonado e havia marcas de pneus próximo ao ancoradouro do barco, demonstrando que o local tinha sido usado recentemente.

– Paul vasculha por informações, Amanda após receber cuidados de Alan e Harrys deita em uma maca na barraca médica. Harrys tenta contato com Oliver, mas não consegue ouvir o que o ele diz devido a estática, seu rádio foi bastante danificado(na água) enquanto ele fugia dos Pteranodons. A chamada é encerrada depois do rádio queimar por completo.

– Paul encontra várias informações sobre as operações realizadas no local, mas parecia estar procurando por algo específico.Eis que os mercenários que haviam amarrado Ben na árvore surgem novamente trazendo Amanda, que repousava na barraca, como refém. Em seguida, rendem todo o grupo.

– Aqui temos um longo diálogo entre os mercenários e os sobreviventes. Neste diálogo é que descobrimos através das perguntas de Paul e Harrys a Broody,líder do grupo de mercenários, que eles estavam na ilha há 3 dias, sua missão era extrair um agente secreto em segurança e eliminar qualquer evidência que comprovasse a presença deles na ilha.

– A missão do agente secreto era coletar material genético direto dos dinossauros. Para isso ele deveria obter ajuda de um cientista da outra equipe e depois eliminá-lo.

– Quando questionado pelo motivo de terem abandonado o acampamento? Broody responde que eles não eram os responsáveis pelo local, havia outra equipe que estava estudando os dinossauros há mais de 4 meses, eles os encontraram por acaso na ilha. Eles concordaram em trabalhar em conjunto através da troca de favores,ele e seus homens forneciam segurança ao local e em troca recebiam suprimentos da equipe secreta. Harrys pergunta quem era a outra equipe? Broody diz que nunca procurou saber, ele fez apenas o que foi pago para fazer. Mas em seus uniformes e equipamentos pessoais tinha uma logomarca que com a letra “M”em destaque.

– A outra equipe atuando na ilha,segundo Broody,estavam estudando animais “raros” e sempre mencionava uma tal de lista da “InGen”, também é dito por ele que estavam trazendo novos dinossauros para fazerem testes de campo, mas alguém estava sabotando o equipamento deles e alguns animais acabaram escapando, mas seriam recapturados depois por outra equipe.

– Ben foi amarrado na árvore porque foi confundido com um espião(tecnicamente ele era) e devem eliminar qualquer prova, mas foram atacados antes de finalizá-lo.

– Harrys pergunta quem os tinha contratado? Broody diz que não estavam ali para ficar respondendo perguntas, mas como não sairiam com vida da ilha(Paul e os outros), iria deixa-lo saber apenas do que ele foi pago para fazer. O agente especial não apareceu, então ele e seus homens tiveram que fazer o trabalho dele,coletando as amostras por conta própria. Ainda completa que usou um dos cientistas da outra equipe para fazer a coleta dos materiais genéticos dos dinossauros, o enganando,depois o matou após ele terminar o serviço, deixando o corpo na selva.

– A outra equipe montou o acampamento naquele lugar por ser um ponto estratégico,um ponto cego, abaixo do desfiladeiro, escondendo-se dos satélites. Broody iria levar as amostras e receber o pagamento que era do espião, pois o mesmo não havia aparecido. Aproximadamente 4 milhões de dólares para ser repartido entre ele e seus homens.

– Hanzo, o mercenário braço direito de Broody era quem carregava as amostras coletadas em uma maleta especial, refrigerada, capaz de manter as amostras conservadas durante 72 horas (a bateria é recarregada de 48h em 48 horas). A maleta ficava algemada em seu punho para que ele não a perdesse.Todos os outros mercenários deveriam garantir a segurança de Hanzo até ser extraído.

– Broody e os mercenários depois de eliminar Alan e os outros, usariam o barco de transporte(mesmo modelo do filme original) para chegar até o litoral, onde seriam extraídos por outra embarcação maior. O rio seguia diretamente para o ponto de extração.

– Paul consegue convencer Broody a levar ele por ser o único capaz de pilotar o barco e Amanda, por possuir um telefone por satélite que era capaz de pedir ajuda caso a extração não viesse.

– Enquanto distraídos com a discussão, Harrys se solta e consegue tomar a arma de Broody! Alan também o ajuda derrubando um deles no chão. Depois do conflito, eles conseguem render Broody e tomam controle da situação. Harrys pede a Broody que ordene seus homens a largar as armas e pergunta a Alan o que faria com eles? Alan decide os poupar, pois eram a garantia que tinham de sair da ilha. Broody com a arma apontada na cabeça, faz o que Harrys pede,os mercenários sem escolha largam as armas no chão e são colocados por Paul dentro da jaula que estava no barco, para evitar que reagissem. Harrys ameaça Broody dizendo para não tentar nada,pois não pensaria duas vezes em puxar o gatinho caso isso acontecesse,então todos entram no barco e partem para o ponto de extração, no litoral.

– Como no filme original acompanhamos o grupo navegando pelo rio, indo em direção ao litoral. Temos a cena dos dinossauros na margem do rio e o diálogo de Alan sobre Billy, mas no lugar de Eric ele conversa com Paul.

– A noite, temos a cena do excremento do Spinosaurus e o Ceratosaurus. Mas nossa versão é bem mais plausível os acontecimentos. Amanda ouve o som de algo tocando na mata. Quando se aproximam do local para investigar do que se trata? Encontram o corpo de Oliver, mutilado, indicando que os Raptores o alcançaram em algum momento. O som que ouviram era de seu rádio, Oliver tentava entrar em contato com Harrys, mas infelizmente não conseguiu falar com o amigo(já que seu rádio havia estragado após ficar todo molhado na gaiola).

– Harrys lamenta pelo amigo não ter sobrevivido, ele desliga o rádio e recolhe suas placas de identificação (Dog Tags). O Ceratosaurus surge, mas ignora o grupo, estavam próximos a um monte de excremento de dinossauro. O Cerato os fareja e faz um gesto de “repulsão”, indicando que eles não servem como presas. O animal então vira para outra direção, como se tivesse detectado algo e no fundo ouvimos o som do Tyrannosaurus rugindo, indicando que estava por perto(fica subentendido que o excremento era deles). O Ceratosaurus corre para mata pois sabia que estava invadindo seu território. Alan e os outros também deixam o local para evitar serem atacados. [“Apesar de o Tyrannosaurus ser morto no início do filme, aqui resolvemos demonstrar que ele não era o único. De uma forma sutil, mas condizente”.]

– O barco chega na lagoa, o Spinosaurus o ataca como no filme e o afunda, junto da jaula.[” Alan ainda tentaria usar o telefone para pedir ajuda e entra em contato com a Ellie e acontece como no filme. Porém aqui temos um confronto em escala maior com o Spinosaurus e vamos usar parte do roteiro original do filme, no qual também foi descartado”.] Todos lutam por suas vidas! Amanda e Alan nadam em direção a beira do lago, Paul nada na direção contrária. Na jaula, Hanzo e os outros mercenários tentam sair da jaula para não morrerem afogados e intoxicados, pois o barco havia derramado combustível na água e a jaula estava na área concentrada.

– Broody foi o primeiro a escapar, passando por cima de seus companheiros. Ele tenta puxar Hanzo, mas o monstro o derrubou na água. O Spinosaurus enfia suas garras na abertura da jaula e tenta fisgar os mercenários que tentam desesperadamente se livrar do monstro enfurecido!

– Hanzo mergulha procurando outra saída, um dos mercenários se enrola e acaba sendo pego pelo Spinosaurus(como ele tenta fazer com Amanda no filme). A besta o arranca violentamente da jaula o erguido sob a água, podemos ver a água sendo manchada de sangue enquanto o homem é mutilado pelo Spinosaurus. Hanzo aproveita da distração do animal e consegue escapar da jaula.

– O Spinosaurus vê Alan e Amanda nadando em direção a beira da lagoa e começa os perseguir (aqui mostramos um pouco mais das habilidades aquáticas do animal, deixando-o “andar” parcialmente submerso na água,pois estava na parte mais rasa, fazendo referência a ‘JAWS’,filme de Spilberg, apenas a sua barbatana ficaria visível).

– Broody que nadava atrás de Alan, Harrys e Amanda os alcança e tenta usar Amanda como isca, agarrando-a e a empurrando para trás, na direção do Spinosaurus. O dino passa contornando os dois (como um tubarão faz com suas presas antes de atacar). Alan que consegue alcançar a margem, pega o sinalizador que encontrou no barco e atira na direção dos olhos de Broody, deixando-o parcialmente cego, ganhando tempo suficiente para Amanda escapar do mercenário.

– O sinalizador ao tocar a água, levanta chamas sob a superfície inflamável. O Spinosaurus emerge entre as chamas e ataca Broody que estava atordoado com toda a situação. Ele o abocanha levando o para baixo da água, como o seu corpo também estava sujo de combustível inflamável o animal também tem parte do corpo atingido pelas chamas.

– Teríamos uma cena altamente perturbante. O Spinosaurus entraria em pânico pois parte do seu corpo estava em chamas, com isso para se livrar do fogo ele seria obrigado a entrar embaixo da água com Broody preso em suas mandíbulas. O animal embaixo da água iria se contorcer para todos os lados, enquanto isso veríamos Broody ser arrastado, estraçalhado e afogado por conta da água e seu próprio sangue que saía em sua boca. As chamas na superfície da água ainda deixavam o Spino mais irritado, pois sua pele ardia por conta do calor, fazendo animal dar um “giro da morte” com a intuição de acabar com o sofrimento causado pelas chamas.

– Finalmente o animal consegue emergir na outra extremidade do lago,balançando Broody de um lado para o outro, Hanzo que tinha alcançado a outra margem vê o parceiro morrer violentamente. Broody é sacudido até ouvirmos um estalo, demonstrando que suas vértebras tinham quebrado. O mercenário encerra os gritos no mesmo instante e seu corpo é arremessado na direção da margem e se choca com uma árvore próxima a Hanzo que olha assustado.

– Hanzo agora se torna alvo do monstrão, que furiosamente parte para cima do mercenário que corre para o lado de Alan, Harrys e Amanda. Paul que estava em cima de um guindaste do outro lado do lago, começa chamar a atenção do animal enfurecido. Mas o animal o ignora, sem mais sinalizadores para usar, Alan usa a única coisa que tinha em mãos. A réplica da câmara de ressonância que estava na bolsa de Billy.

– Alan no ínicio não consegue reproduzir os sons com clareza, mas consegue a atenção do Spinosaurus que observa Alan sem entender, era um som de Raptor mas não vinha de um Raptor. Então Amanda pede que ele imite o “pedido de ajuda”. Com dificuldade Alan consegue imitar o som, o Spinosaurus ruge de na direção de Alan tentando o intimidar. Alan continua ‘pedindo ajuda’, até que do outro lado da margem, próximo a Hanzo, surge um raptor solitário.

– Outro raptor chega correspondendo ao chamado e o Spinosaurus vira-se para o lado dos pequenos animais. Mais uma vez ele solta um rugido ameaçador, tentando os intimidar. Os animais hesitam por um instante, mas mantém a posição. Então, outros sons começam a ecoar por toda mata, mais raptores começam chegar de várias direções. Um raio corta o céu e começa uma chuva bem forte, semelhante a que temos no filme original. [“Diferente do filme cena toda se passa durante uma tempestade, na nossa versão a tempestade surge depois”.]

– Hanzo aproveita a distração de todos e foge pela mata. Paul se reuni com Alan, Amanda e Harrys do outro lado da margem. Aqui temos uma sequência de raios clareando o local, através dos relâmpagos é revelado que o Spinosaurus está cercado por um grupo de mais de 15 Velociraptors.

– O Spinosaurus sem alternativa ruge contra os Raptores, mas eles mantêm a posição. A fêmea, alfa do grupo, a mesma que apareceu no ataque do bunker surge atrás do Alan e dos outros, caminhando lentamente, ela passa por eles. Alan fica sem reação diante o animal, mas o Raptor os ignoram, demonstrando claramente que o seu alvo era o Spinosaurus.

– A alfa encara o Spinosaurus com um olhar assassino, o Spinosaurus tenta mais uma vez através do seu rugido intimidar os raptores, mas sem sucesso. Então após o último relâmpago o confronto se inicia, a fêmea solta seu rugido e em seguida todos os outros raptores avançam em direção ao grandalhão.

– Os raptores aos poucos começam subir no Spinosaurus, alguns vão sendo arremessados, porém, mais vão chegando e se unindo ao confronto! Como um bando de hienas raivosas eles vão enfraquecendo o gigante. A fêmea entra em ação saltando e escalando o Spinosaurus através das pernas,usando suas ‘garras-terríveis’ , cravando-as até alcançar o pescoço do Spinosaurus (semelhante ao que os raptores fazem no primeiro filme com o Tyrannosaurus, mas em maior escala e número).

– Harrys diz a Alan que é melhor sair dali enquanto eles ainda podem. Então todos correm para a mata, Alan é o último a deixar o local, antes de entrar na floresta ele dá última olhada para a briga dos Raptores e o Spinosaurus. Alguns estavam sendo abatidos, a fêmea tentava subir no grandalhão e mais raptores iam se juntando ao confronto. Alan entra na mata e apenas ouvimos os sons dos animais brigando ao fundo e cena corta para eles em volta de uma fogueira em algum lugar na mata, algumas horas depois do ataque.

“Jurassic Park 3 encerra com Alan devolvendo os ovos para os raptores e sendo resgatado pela marinha. Que foram enviados pela Ellie, também vemos que Billy sobreviveu ao ataque dos Pteranodons. E os répteis voadores conseguem sair da ilha e ficam livres para irem para onde quiserem. Na nossa versão, mais uma vez vamos usar o roteiro original de Jurassic Park 3, onde teve muitas coisas descartadas.”

– Mantemos o encontro do Alan com os Raptores e a devolução dos ovos. A cena seria bem semelhante com a do filme original, com os raptores surgindo e cercando Alan e os outros. Além do suspense que originalmente estava presente na cena do filme, também queríamos um pouco de emoção. Alan respeita muito esses animais, em nossa versão devolver os ovos seria uma obrigação,para poderem saírem com vida daquela situação, mas também fica como um ato de respeito,por parte do Alan, sendo também uma forma de agradecer a ajuda que receberam na noite anterior, durante o ataque do Spinosaurus.

– A fêmea alfa se aproxima de Amanda como no filme,ela está com marcas de ferimentos. Alan fica de certo modo,contente pelo animal ter vencido o confronto. Já que nunca imaginou que dependeria deles para sobreviver. Ela junto ao novo macho líder, coletam os ovos e deixam Alan e os outros para trás, correndo em direção a mata. Parecem ter ouvido algo próximo. [“Tinham acabado de sair de um confronto difícil e tiveram algumas baixas, apesar de estarem em vantagem númerica, decidem evitar uma nova batalha.”] Alan e os outros se levantam e correm em direção a praia.

– Na praia eles não encontram ninguém esperando por eles. Amanda e Harrys buscam uma maneira de sair da ilha. Alan escuta um barulho de algo batendo nas rochas, próximo a ao local onde estavam. Ele caminha em direção ao som e encontra os destroços do barco que levou Ben até a ilha.

– Analisando os destroços, Alan descobre que o barco foi atacado em movimento, não havia restos mortais. O que o atacou, arrancou o piloto do assento e o levou, havia manchas de sangue e marcas de arranhões no banco. Comparando-o com as marcas com sua própria mão, ele entende que não foi feito pelo Spinosaurus, pois o mesmo teria causado mais danos ao veículo. Raptores também não foram, pois estava muito longe da costa. Teria que ter sido algo que tinha força suficiente para arrancar uma pessoa do assento do piloto, mas não tinha força suficiente para destruir o barco. Alan escutar sons estranhos ecoando nas árvores próximas à beira da praia.

– Paul vai até Alan e pergunta o que ele encontrou? Alan diz que o barco está gravemente destruído e não tinha como usá-lo para sair da ilha, mas poderiam usá-lo para chamar atenção de quem passasse por perto. Paul nota que Alan está desconfiado de algo, novamente os sons ecoam da mata a frente da praia e Paul vai investigar.

– Na mata, bem próximo a areia. Paul encontra o cadáver de Hanzo, que estava parcialmente mutilado,pendurado na árvore,alguns metros do solo. Seu braço estava desmembrado e a maleta que ele carregava, estava caída com uma das partes do membro. Alan nota uma agitação nas árvores, os pássaros se assustam. Paul ao olhar para a copa das árvores descobre que ele está cercado de ‘Quetzalcoatlus’, mais animais secretos, provavelmente os que fugiram e se perderam na ilha, no qual seriam recapturados depois pela outra equipe. Além dos Quetzalcoatlus, havia um bando de Pteranodons espalhados no local. Ficamos a entender que os Quetzalcoatlus invadiram o território dos Pteranodons e estavam em disputa territorial. Mas os Quetzalcoatlus eram animais desconhecidos para os Pteranodons, invasores, mas muito maiores e mais agressivos. Forçaram os Pteranodons que já tinham fugido e se estabelecido na costa a recuar para dentro da mata.

– Paul saí correndo, Alan olha para ele assustado quando o gigante alado emerge do meio da mata e avança na direção deles! Amanda e Harrys estavam mais a frente e não percebem o perigo. Alan começa gritar para Harrys e Amanda saírem de perto das árvores, mas devido a distância eles ficam sem entender. Quando Amanda pergunta a Harrys o que eles estão dizendo? Antes dele dizer algo, outro Quetzalcoatlus surge e agarra Harrys, levantando-o no ar! Mais um Quetzalcoatlus surge e os dois disputam pela presa, Harrys é mutilado em pleno ar pelas bestas aladas.

– Em instantes o clima de tranquilidade é tomado pelo terror e desespero novamente. Os Pteranodons entendem as ações dos Quetzalcoatlus como uma provocação e partem para cima de todos. O céu é encoberto pelas criaturas, formando um enxame, uma nuvem negra que avançava vorazmente. Consumindo tudo que surgia em seu caminho, o caos estava estabelecido novamente.

– Em meio a confusão, um Pteranodon tenta agarrar Amanda, no qual não tinha muito tempo que havia escapado das garras dos répteis e mais uma vez estava em risco. Porém é salva por um helicóptero de ataque, da marinha americana. O resgate havia chegado. Mais helicópteros se aproximavam no horizonte.

– O helicóptero de transporte (Blackhawk) consegue pousar na praia. Amanda é a primeira a subir a bordo, já que estava mais próxima da aeronave. Paul e Alan vinham correndo logo atrás. Alan sendo último, tem que escapar das investidas dos répteis voadores. Paul consegue alcançar o helicóptero. Alan fica para trás, o piloto da aeronave diz que não pode esperar mais e começa a subir, Paul e Amanda jogam uma escada de cordas na areia para que Alan consiga se agarrar.

– O ajudante do piloto que estava no helicóptero com a Amanda e Paul, assume o comando da metralhadora e a usa para cobrir Alan, disparando contra os Pteranodons que o perseguia. Em meio ao confronto de Pteranodons vs Quetzalcoatlus o helicoptero de suporte que estava cobrindo o Blackhawk é atacado e destruído por um dos Quetzalcoatlus, que tenta pegar o piloto e acaba se chocando com as hélices, o animal acaba morrendo decepado e a aeronave cai e explode na mata.

– Alan alcança as escadas e é quase pego por um dos Pteranodons. Os Quetzalcoatlus notam que ele era um alvo fácil e partem para cima de Alan, que tentava subir as escadas com o helicóptero em movimento, já em alto mar. O soldado da marinha tenta usar a metralhadora novamente para afastar as criaturas, após ver o que aconteceu com o outro helicóptero, não podiam se arriscar em deixá-los se aproximar demais da aeronave.

– Um dos Quetzalcoatlus surge por baixo do Blackhawk e consegue pegar o soldado na metralhadora, o puxando para fora da aeronave. Com o ataque a mesma fica desestabilizada, quase encostando na água. Alan é submerso por alguns instantes, mas logo está no ar novamente!

– O Quetzalcoatlus maior, o líder, que havia agarrado e matado Harrys,tenta pegar Alan que subia vagarosamente as cordas. Dando investidas e tentando agarrá-lo com o seu enorme bico afiado. Mas sem sucesso! Paul e Amanda começam a puxar a corda juntos, para ajudar Alan a alcançar o helicóptero mais rápido. Paul estende a sua mão para que Alan consiga embarcar,quando ele finalmente consegue entrar na aeronave, o enorme Quetzalcoatlus tenta dar uma investida bem forte a acaba passando direto, se chocando contra as escadas de cordas, ficando preso.

– Preso entre as escadas, o animal começa a se debater, ao mesmo tempo que tentava se soltar, ele tentava pegar Alan e os outros de todas as maneiras! Alan não consegue entrar completamente na aeronave pois um de seus pés ficou preso na escada. O animal perde o equilíbrio e despenca no ar, puxando a aeronave contra a água. Os outros helicópteros de apoio se aproximavam. Mas eles sabiam que se não fizessem nada, não chegariam a tempo.

– Amanda e Paul também são atacados pelo Quetzalcoatlus, que alcança a entrada da aeronave. Temendo que o animal se chocasse com as hélices, os dois tentam cortar a corda que prendia o pé de Alan. Alan usa a sua perna livre para chutar o animal para fora da cabine. Os dois conseguem cortar a corda e o animal e cai no oceano, fica se debatendo, mas consegue voltar aos céus. Mas desiste da perseguição, o helicóptero já estava fora da área de alcance. Os outros helicópteros chegam e espantam os animais que voam em direção a ilha.

– Fora de perigo, Alan, Amanda e Paul observam os Pteranodons passando por eles(como no filme original),temos as mesmas falas de todos os personagens, com exceção de Eric que não estava presente em nossa versão(os helicópteros voam em direção ao horizonte, com um crepúsculo, como vimos no final de Jurassic Park 93’s). Encerramos com os Pteranodons voando em direção às nuvens, como no filme original, mas o filme não termina aqui.

– Em seguida mostramos os personagens chegando ao porta aviões e descobrimos que Billy sobreviveu, Alan vai até ele e temos a cena do “recuperei o seu chapéu”. Paul e Amanda voltam com o relacionamento, um dos soldados agradece Paul e Amanda por terem conseguido várias informações das instalações e operações na ilha. E a cena corta para algumas horas depois.

– Já era noite. Mostramos um helicóptero pousando na areia e alguem descendo, acompanhado de soldados, mas não revelamos a face do homem. Mas ele estava com um traje furtivo. Era o mesmo local onde Alan, Paul e Amanda haviam sido resgatados. O homem ordena que os soldados iniciem que assegurem o perímetro, então os soldados pegam lança-chamas e começam a incendiar a mata costeira. Vários Pteranodons que dormiam nas copas das árvores, começam a fugir em desespero, um é atingido pelas chamas e morre cruelmente no ar, em chamas.

– Após alguns instantes queimando as árvores o homem ordena que parem. Um dos soldados diz que a área está segura. O homem então caminha em direção às chamas e podemos ver o local onde estava o corpo do Hanzo e a maleta com as amostras. O homem pega a maleta, confere o tempo de vida criogênico e abre para conferir os frascos. Faltavam 12 minutos para o sistema de refrigeramento desligar. Cuidadosamente o homem retira as amostras e as coloca em um novo recipiente(estilo a lata de Barbasol, porém maior) e vemos uma nova contagem, marcando 72h. Então a cena encerra com homem voltando para o helicóptero e saindo da ilha.

– Passamos para a outra cena, agora durante o dia. Vemos um homem bem vestido, de terno preto e gravata. Sentado em uma mesa de um Café local, de óculos escuros, lendo um jornal. Esperava por alguém, olhava para todas as direções, preocupado, sempre atento ao relógio. Então mostramos por outra perspectiva uma SUV de luxo estacionando. Dentro dela, outro homem bem vestido, com terno de tons claros, caqui, desce e caminha em direção ao homem sentado na mesa.

– Os dois iniciam um diálogo suspeito, o homem do terno preto perguntando para o homem do terno claro se ele havia conseguido o que ele havia pedido. O outro homem responde que sim e pega uma maleta contendo o frasco criogênico com as amostras de dinossauros coletada na ilha. Então revelamos que não ninguém mais que Paul Kirby. O tempo todo ele era o agente secreto, agente duplo. Enviado para ilha para roubar amostras de DNA das espécies de dinossauros.

– O homem contente com o resultado entrega a Paul o dinheiro que ele havia solicitado para fazer a missão e diz que a outra metade seria depositada em uma conta de sua preferência, como Paul havia pedido antes aceitar o contrato. Ele questiona a Paul como conseguiu manter o disfarce e pegar as amostras sem que os outros desconfiasse? Paul responde que apenas usou as pessoas certas e nos momentos certos(se referindo a Alan, Billy e Amanda). O homem diz que ele era uma pessoa muito misteriosa, mas não estava afim de saber dos seus mistérios.

– Paul agradece ao homem, dizendo que foi um prazer fazer negócio com ele, Sr. Mills. Então ele se levanta e caminha em direção ao carro novamente, mas antes de entrar. Mills o alerta, dizendo que para o sucesso dos dois, era necessário manter a discrição. Paul responde que era última vez que eles se encontrariam. Novamente Mills diz a Paul o quanto era perigoso caso ele tentasse revelar para alguém o que eles fizeram(o ameaçando). Paul apenas sorri e diz, “até mais Sr. Mills.” Encerramos a cena com Paul saindo e Mills fazendo uma ligação para alguém, dizendo que já estava com os ‘itens’.

– Aqui temos a cena final, com Alan mais uma vez na casa da Ellie, brincando com Charlie que havia ganhado um Spinosaurus de brinquedo. Porém desta vez o garoto brincar da forma “correta” colocando um T-rex e o Spinosaurus para brigar. Ellie chega e vê Charlie e Alan brincando e pergunta para Alan quem ele acha que ganharia a luta? Alan pega um boneco de velociraptor caído no chão e diz para Ellie que que a vida sempre encontra um meio.

– Passados alguns dias e vemos Alan e Billy novamente em uma palestra, Alan estava procurando um novo financiamento para continuar com seu sítio de escavações. Após o final da palestra, Billy diz que o que eles arrecadaram não foi o suficiente para pagar pelos equipamentos e eles teriam que fechar o campo de escavações. Então uma mulher que trabalhava no local e diz a Alan que alguém mandou ela entregar uma carta. Alan agradece e Billy deduz que se trata de uma notificação de desocupação.

– Alan abre o envelope, temendo o pior, porém ele é surpreendido com um cheque no valor de 500 mil dólares! Ele e Billy ficam contentes e perguntam a mulher quem foi quem fez a doação? Ela responde que foi um cavalheiro que não quis se pronunciar. Mas admirava muito o trabalho dele e gostaria de contribuir de alguma forma. E entrega um cartão. Billy recolhe o cartão e vê que está escrito “Kyrby’s tintas, ladrilhos e utilidades para o lar” e o cheque foi assinado por Paul Kirby. Alan olha para a multidão que estava saindo do salão e vê Paul em seu carro,do lado de fora. Eles apenas acenam um para o outro com a cabeça, como um sinal de gratidão e reconhecimento.

– “[Paul doou parte do dinheiro da venda das amostras para Alan, como uma forma de se redimir por tudo que ele fez a eles na ilha”.] Billy diz a Alan que o dinheiro era mais do que suficiente para custear as escavações por mais de 6 anos. E pergunta a Alan o que eles fariam com o resto do dinheiro? Alan vira-se para ele apenas responde que tem uma idéia. Temos um corte e sobe os créditos com a música tema de Jurassic Park(a trilha que toca no trecho quando chegam na ilha pela primeira vez).

Considerações finais

Como alterar a história oficial?
“- Procuramos criar uma história à partir do filme original. Em tese, usamos a lógica de um roteiro alternativo, como se a versão que foi filmada e apresentada nos cinemas seria uma idéia inicial e a nossa versão seria, em teoria, a versão final enviada para os cinemas.”

O “R” da questão. – “Reinventar, recriar ou refazer?”
– Fizemos pesquisa em roteiros iniciais de Jurassic Park 3, versões alternativas no qual tiveram algumas cenas gravadas, mas retiradas da versão final. Concluímos que de acordo com alguns fãs do filme, algumas delas deveriam ter sido mantidas. No qual daria uma maior imersão a narrativa do filme, além de aumentar o tempo de tela total do longa.

– “Re-elenco”.
Fizemos a adição de novos personagens,com isso foi necessário encontrar atores para caracterizá-los, também decidimos alterar o ator para interpretar Paul Kirby. Procuramos inserir atores da época no qual o filme estava em produção. Alguns são conhecidos, outros não. Mas de certo modo, estavam em alta nos meados dos anos 2000. Vale ressaltar que o resto do elenco permanecem os mesmos atores, alguns tiveram seus personagens alterados, mas mantiveram os atores.

Paul Kirby – David Orth
Harrys – Gerard Butler
Oliver – Owen Wilson
Hanzo – Seann Willian Scott
Broody – Eric Bana

Menções honrosas:
Josh Brolin/Brendan Fraser – Harrys
Jennifer O’Dell – Amanda Kirby

“…é a diferença de imaginar, ver e poder tocar.”
– Utilizamos algumas artes conceituais oficiais para ilustrar como seria algumas cenas da nossa versão de Jurassic Park 3, como dito antes, versões alternativas ou extendidas das cenas no qual assistimos na versão final. Porém, para retratar as cenas “originais” no qual criamos, nos inspiramos em artes de artistas independentes e também criamos algumas artes originais, para facilitar que nossos leitores criassem a cena em sua imaginação, assemelhando-se com o conteúdo original que vemos no filme.

Surpresa! Quetz…o quê?
– Em nossa versão, tivemos apenas uma adição de espécie de répteis, no caso os ‘Quetzalcoatlus’, répteis voadores e bem conhecido pelos fãs. Queríamos que o mistério do ataque do barco no início do filme fosse explicado no final. Mas nada que levasse o espectador a pensar que o acidente fosse causado pelo Spinosaurus ou pelos Pteranodons (como seria na versão original do filme). Como a idéia do filme era trabalhar com ações “clandestinas” ocorrendo naquele lugar, preferimos adicionar apenas uma nova espécie, mas que ficasse condizente com a trama. Dando pistas no início do filme e indícios ao decorrer do filme, mas no final o público seria surpreendido por algo totalmente novo.

“Curiosamente, o Quetzalcoatlus foi cotado para Jurassic World e foi mostrado em uma exibição secreta, quando o filme ainda estava em fase de pré-produção. Logo em seguida, tivemos a confirmação que teríamos um novo filme, no qual se tornou “Jurassic World”. Porém os Quetz, até o momento ficaram de fora. Mas a cena em si parece fazer mais sentido com o contexto de Jurassic World 3, com os dinos à solta na Terra.”

Dando um toque original!
– Em relação a aparência dos dinossauros de nossa versão, simplesmente manteríamos o visual de alguns dinossauros que já estão presente no filme original. Os únicos de fato que gostaríamos de fazer alguns ‘ajustes’ seriam os Raptores, manteríamos as proto-penas, porém os materia com um corpo mais robusto, forte, como vimos em ‘The Lost World:Jurassic Park’. Inclusive uma nova versão para os olhos, no qual no filme original possuem irís arredondada. Em nossa versão, manteríamos os olhos de “serpente/gato”.

T-rex vive! No haters, no fanboy’s!
– A luta do Tyrannosaurus contra o Spinosaurus foi o que praticamente enterrou Jurassic Park 3. Os fãs do animal não gostaram nem um pouco de ver o seu dino preferido morrer tão cedo no filme. Mantivemos a luta em nossa versão, mas sabendo dessa insatisfação. Acreditamos que a melhor maneira de mostrar que eram apenas animais travando uma briga territorial, onde geralmente acaba com fatalidades (inclusive no reino animal moderno é muito comum). Mostramos sutilmente que o fato do Tyrannosaurus ter perdido no início do filme, não significava que era o último ou algo assim. Havia muitos outros vivendo na ilha, porém aquele deixou o seu território e acabou perdendo o confronto com o Spinosaurus.

A morte vem do céu!
– No design do Quetzalcoatlus queríamos algo diferente, original. Então fizemos algumas buscas dentro da própria franquia. Conseguimos encontrar Quetzalcoatlus pertencente a marca Jurassic Park, brinquedo licenciado distribuído pela empresa Kenner, no ano de 1994′. Apelidado de Quetzalcoatlus – “Fire Break”, o animal como os demais, não era cientificamente correto e nem anatomicamente. Pois se destoava do animal real. Porém era um brinquedo particularmente atraente para os fãs e raro. Então decidimos que em nossa versão, os Quetzalcoatlus seriam baseados naquele brinquedo. Mantendo a mesma coloração, destacando-se pelo bico vermelho/laranja “fogo” ,corpo acinzentado e massa muscular robusta, padrão dos dinossauros da franquia Jurassic Park, já que são dinossauros geneticamente modificados. Seu comportamento seria bem mais agressivo comparado aos Pteranodons. Seu tamanho seria algo marcante, porém adicionaríamos mais agilidade a eles para aumentar ainda mais o nível de ameaça. Como em nossa versão se tratava de animais “secretos”, não teríamos muitos no filme, estimulamos que para uma cena como descrevemos seria necessário pelo menos 5 ou 6 animais, sendo um deles o alfa, para contracenar a maioria das cenas.

É uma história sobre dinossauros e a ambição humana.

– Fizemos questão de alterar toda a trama do drama familiar dos Kirby’s. Dando um papel muito mais interessante para o Paul e deixando pontas para futuros filmes, no qual sabemos que hoje se tornaria ‘Jurassic World’.

Todo mundo em pânico!
– Para a ambientação e a fotografia de nosso filme, manteríamos os cenários tropicais. Porém a atmosfera do filme seria muito mais tensa, queríamos transmitir uma sensação de admiração, aventura, descoberta e ao mesmo tempo de uma sensação de pânico com toques de horror. Mostrar o lado ‘B’ da franquia de um modo muito mais sombrio. Informar ao público que nem tudo era um mar de rosas.

Jurassic Park 3 pode ter sido o mais criticado de toda a franquia. Embora tenha seus pontos positivos e negativos, não deixa de ser um ótimo filme e proporciona bastante diversão. Ainda mais quando assistido junto a família. Pode não agradar os mais saudosistas, mas sempre terá o que falar. Esperamos que tenham gostado de nossa versão e tenham se divertido. Anexamos um dos roteiros de Jurassic Park 3 no qual utilizamos para recriar as nossas ideias. Infelizmente está em inglês. Mas para quem tiver um interesse maior em saber como teria sido o filme inicialmente, deixamos essa oportunidade para vocês.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *