Fósseis mostram que T. rex tinha pele com escamas

t-rex-jurassic-park

Pesquisa analisa fósseis que mostram que ele tinha escamas grossas e duras e provavelmente nenhuma pena. Afinal, ele não era tão diferente do que vimos em Jurassic Park.

As primeiras impressões de pele de Tyrannosaurus rex (ou seja, a própria pele fossilizada do animal) foram analisadas e o resultado é que ele tinha poucas ou nenhuma pena. As partes preservadas foram trechos do pescoço, pélvis e cauda. O time de cientistas foi liderado pelo paleontologista Phil R. Bell.

A conclusão da pesquisa mostra que o T. rex tinha uma pele escamosa bem grossa. Eles analisaram também impressões de pele de dinossauros parentes do T. rex, como o Albertosaurus, Gorgosaurus, e Daspletosaurus — e mostraram que esses gêneros também não tinham penas. Um dos autores do estudo declarou:

“A pele é irregular. Nenhuma das escamas é tão grande quanto a que vemos nas costas de um crocodilo, mas elas são semelhantes às escamas que existem ao longo do flanco de um crocodilo.”

Estes fósseis foram escavados perto de Baker, Montana, e são datados do final do Cretáceo (cerca de 66 milhões de anos atrás).

Bell et al 2017 - escamas T. rex

Escamas do T. rex analisadas no estudo (Bell et. al, 2017).

Sabemos que há tiranossaurídeos do tamanho de lobos e leões e que possuíam estruturas semelhantes a penas. Mas ao longo do curso da evolução, segundo os pesquisadores, muitos da linhagem provavelmente perderam as penas.

Eles afirmam que os ancestrais do Tyrannosaurus rex deviam possuir essas estruturas para manter seu corpo aquecido. Como as espécies evoluíram para tamanhos maiores, a necessidade de penas diminuiu drasticamente. Os pesquisadores acrescentam:

“Hoje vemos que grandes mamíferos – como elefantes, rincerontes, hipopótamos e o búfalo-africano – tiveram uma grande diminuição da cobertura de pelos. Como animais grandes e volumosos vivendo em ambientes quentes, esses mamíferos estão mais preocupados com o risco de superaquecimento do que com o desafio de permanecerem quentes, então é melhor perder todo o quase todo o pelo. A mesma explicação pode ser usada, pelo menos em parte, para a razão de grandes tiranossaurídeos tinham pouca ou nenhuma pena.”

Bell et al 2017 - escama pescoco - nuca

Detalhe das escamas do pescoço do T. rex, região da nuca (Bell et al. 2017).

A anatomia do T. rex mostra que ele poderia atingir boas velocidades de corrida, se necessário. Os cientistas confirmam:

“Em uma arrancada, ele provavelmente poderia superar qualquer outro dinossauro de grande porte.”

O T. rex, assim como outros tiranossaurídeos, viveram em uma variedade de ambientes, de pântanos a planícies abertas. Durante o dia estes locais podem ficar bastante quentes. Um animal grande, com estilo de vida ativo em um ambiente frequentemente quente “provavelmente não gostaria de usar um casaco”, segundo Persons, um dos autores do estudo. Os autores do estudo acreditam que a pele do T. rex era coberta com escamas fortes e resistentes à abrasão.

Agora Persons estuda um crânio encontrado no Canadá, que mostra alguns pequenos chifres nas bochechas. Esperamos ver o quanto antes os resultados desta pesquisa.

O artigo original com o resultado da pesquisa da pele do T. rex está aqui, ó.

Fonte: Seeker

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *