Colin Trevorrow e J.A. Bayona falam MUITO sobre Jurassic World 2

Juan Antonio Bayona

Juan Antonio Bayona, o responsável por Jurassic World 2

Em um podcast com Colin Trevorrow e Juan Antonio Bayona, surge uma discussão longa sobre os rumos de Jurassic World 2. Muita informação boa foi divulgada, principalmente as que acalmam os fãs!

Ouvimos todo o podcast publicado hoje pelo Jurassic Outpost, percebemos que Colin é a simpatia em pessoa, ele pegou o Bayona de surpresa, provavelmente em uma reunião, e gravou um áudio de improviso. Também percebemos que foi legal da parte do Bayona aceitar e ir em frente, pois o bate-papo de mais de meia hora não estava planejado.

Separamos os principais pontos do que foi discutido, veja a seguir.

Ainda sobre Jurassic World

Colin revela que a morte da Zara foi deliberadamente planejada para ser algo chocante. Ele sentia que isso era comum nos filmes antigos da Amblin e quis trazer mais uma cena do tipo para a história do estúdio.

A placa da Doca Leste, que apareceu nas campanhas publicitárias antes da estreia, foi cortada do filme e substituída pela placa ‘pesquisa’ porque o Colin queria deixar a audiência imaginando, antes de ver o filme, outras instalações desconhecidas do parque antigo. Ao contrário do que foi assumido antes, isso nada tem a ver com Jurassic Park The Game.

Em um roteiro anterior, o personagem que veio a ser o Owen Grady (Chris Pratt), era o proponente do uso dos dinossauros no exército, mas o Colin sentia que isso era mais a cara do vilão fazer do que um dos mocinhos.

Não houve animatrônico da Indominus rex porque o desenho do animal continuou evoluindo durante a produção. E sobre os close-ups dela (que muitos confundiram, no início com um animatrônico) Colin disse que esse efeito foi proposital, ele mesmo que pediu aos animadores que emulassem os movimentos de um animatrônico. Aliás, ele basicamente pontuou que todos os dinossauros de Jurassic World foram pensados para emular o “estilo de Jurassic Park”, porque ele acredita que tem que ser fiel ao que Stan Winston fez, por isso certas escolhas visuais estéticas antigas e não atuais.

Estilo e história de Jurassic World 2

Eles revelaram que Jurassic World 2 terá mais suspense e será mais assustador (!), o que agrada a maior parte dos fãs, que desejam um filme mais sombrio e menos infantil. Jurassic World foi baseado em ideias e pontos criados por Steven Spielberg, então eles já escreveram o roteiro com toda essa carga (já que estava em desenvolvimento há muito tempo) e ponto de partida dados por Spielberg, mas Jurassic World 2, no entanto, não tem carga alguma e eles puderam começar tudo do zero e juntos (Colin / Derek / Spielberg / Bayona). Colin diz que usou e vai usar ideias do Crichton, o que é uma excelente notícia! Bayona está muito surpreso com a direção da história. Um ponto curioso é que Colin informou que sabia que queria Bayona para dirigir muito antes de alguém ter ouvido que a sequência era uma possibilidade, assim, a coisa toda foi construída apenas em torno de seu conjunto de habilidades.

Segundo eles, “imagine as crianças que viram Jurassic World pela primeira vez – como você viu seu primeiro Jurassic Park em 1993 – agora imaginem que no segundo filme (com 12 anos, mais velhas) elas já estão indo com expectativas diferentes e também levando outras crianças novas, primos, etc”. É assim que pensaram na sequência. Disseram que Jurassic World segue um estilo diferente de Jurassic Park, no filme original a maior cena de ação está no meio do filme, e a partir daí o contexto afunila, as cenas vão ficando mais fechadas e claustrofóbicas. Jurassic World, por outro lado, vai crescendo, crescendo, crescendo pra desembocar na cena maior: a luta final. E Jurassic World 2 pode seguir um estilo similar ao primeiro Jurassic nesses quesitos.

Eles não sentem a necessidade de fazer uma sequência “maior e melhor”, no sentido de ficar ampliando e ampliando as cenas de ação, explosões ou escopo.  Para eles os dinossauros são personagens e merecem ser tratados como tal, contrariando críticas de que ‘Colin liga mais para os dinos’ do que pessoas.

Confirmaram que já existe um título para o filme, mas ainda não sabem quando será divulgado.

Colin Trevorrow

Colin Trevorrow nos bastidores de Jurassic World.

Colin se posicionou contra a militarização de dinossauros e não está interessado em “Jurassic War”. Disse que isso funcionaria bem como desenho animado e que, se fosse em filme, demoraria cerca de seis filmes para a história chegar em um ponto em que isso fosse possível. Colin deixou subentendido que ele se interessa mais pelos outros aspectos do uso dos dinossauros. Nós do Jurassic Park 4.4 particularmente entendemos a partir disso que não veremos a tecnologia de clonagem e hibridização dos dinossauros bem difundida… – como ele tinha dito anteriormente – pelo menos ainda.

Locações de Jurassic World 2

O Havaí é uma das locações principais do filme! Não falaram em qual ilha do Havaí será gravado para os fãs não irem atrás, mas deram a entender que vão usar mais de uma. A história não se passa em Londres, informaram que filmarão neste local apenas para usar os estúdios mais próximos do Bayona e do Colin.

Efeitos especiais de Jurassic World 2

Teremos animatrônicos e efeitos práticos! Segundo eles, isso é uma das recompensas do sucesso do Jurassic World, mas deram a entender que seriam mais ‘cabeças’ e partes do corpo, e não dinossauros inteiros.  Foram enigmáticos quanto à adoção de penas, mas insistiram bastante no diálogo entre o Dr. Wu (B.D. Wong) e Masrani (Irrfan Khan) e disseram que isso é o interessante da história, ‘a bastardização da vida real’ por parte dos cientistas de Jurassic World.

Bem, muitas informações interessantes e novas foram trazidas à luz nessa conversa. O filme provavelmente terá mesmo uma atmosfera mais sombria, o que é comum em segundas sequências (ex. Mundo Perdido, O Império Contra-Ataca, Indiana Jones e o Templo da Perdição…). E muitos fãs querem ver mais elementos dos livros originais de Crichton trazidos ao cinema, bem como a forma sangrenta e cruel que a narrativa desenvolve a história.

Uma coisa que Jurassic Park faz muito bem é usar os elementos de suspense/expectativa e admiração. Ele vai colocando tudo em tela (raptores e T. rex, por exemplo) sem os mostrar, e preparando o terreno, para quando a coisa vier, o público já ter noção que aquilo é um grande problema para se preocupar! E há uma sensação contínua de deslumbramento à medida que os elementos são mostrados. Muitos fãs sentiram falta disso em Jurassic World, pois tudo ocorre de maneira rápida (com algumas exceções pontuais) e genérica. Resta saber agora se aprenderam com Jurassic World. Ou vão apenas tentar modificar esses aspectos para que os filmes não fiquem iguais?

De qualquer forma, Jurassic World foi um sucesso de bilheteria e de críticas (inclusive dos fãs) e estamos ansiosos para o próximo capítulo, agora sob a direção de Bayona!

Ouça abaixo o podcast completo!

Indominus Rex Jurassic World

Fonte: Jurassic Outpost

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *